Postado em: Destaques, EconomiaPor:
3 de julho de 2018 Ultima atualização: 10 de maio de 2019

O que é a Taxa Selic: tudo sobre a taxa básica de juros

A taxa Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira, definida pelo Comitê de Política Monetária (Copom). Entenda como ela afeta seus investimentos.

3 de julho de 2018

A Selic influencia todas as outras taxas de juros cobradas pelos bancos em empréstimos e oferecidas como rendimento por diversos produtos de investimentos em renda fixa pós-fixados. Ou seja, é uma taxa de referência que norteia todas as outras taxas de juros.

Mas o que a taxa Selic tem a ver com você e com seus investimentos? Para que ela serve? Por que as mudanças na taxa Selic são importantes? É sobre isso que vamos falar neste artigo.

A importância da taxa Selic

“Na reunião de hoje o Copom decidiu manter a taxa Selic em 6,5% ao ano…”

Você já deve ter ouvido algo parecido em sites, no rádio, na TV… A taxa Selic está sempre presente nos noticiários, com especialistas fazendo projeções e comentários. Afinal, ela é a mais importante taxa de juros da economia brasileira.

Mais do que isso, a Selic é também um instrumento de política monetária que permite controlar a inflação e o nível de investimento do país, por exemplo.

Lembrando que juros são a remuneração cobrada pelos financiamentos, ou seja, empréstimo de dinheiro. Pois é, entre as instituições do mercado financeiro há operações de financiamento o tempo todo. O dinheiro vai pra lá e pra cá diariamente, e a Selic tem um papel fundamental ao uniformizar a taxa de juros desses financiamentos.

Histórico da taxa Selic

Histórico da Taxa Selic

Fonte: Banco Central

Mas de onde vem a palavra Selic?

Selic é a sigla para Sistema Especial de Liquidação e Custódia, o sistema que registra e monitora as operações financeiras diárias com títulos públicos. O Selic emprestou seu nome à taxa básica de juros que é apurada… pelo Selic!

Quando alguém fala “o” Selic, está se referindo ao sistema de liquidação e custódia. Já “a” Selic é a taxa básica de juros, apurada por meio deste sistema. Deu para entender a diferença?

Na definição do Banco Central do Brasil, a taxa Selic é “a taxa média ajustada dos financiamentos diários apurados no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic) para títulos federais.”

Taxa Selic meta x taxa Selic over

Existem dois tipos de taxa Selic:

Taxa Selic meta

A taxa Selic meta é a mais importante para você e por isso ela é o foco deste artigo. O nome é esse pois essa taxa é a meta que o Comitê de Política Monetária (Copom) estipula para os juros básicos do país nas famosas reuniões realizadas a cada 45 dias em Brasília.

A Selic meta está em 6,50% ao ano (julho de 2018). Como vimos, a taxa é calculada e varia diariamente, mas sempre fica muito próxima à meta.

Como vimos antes, a taxa Selic meta serve de referência para definir todas as demais taxas de juros praticadas no Brasil.

Taxa Selic over

Além da taxa Selic meta, existe ainda a taxa Selic over. Ela é a média ponderada de todas as operações financeiras registradas no sistema Selic lastreadas em títulos públicos federais.

Mas o que são essas operações financeiras lastreadas em títulos públicos? São operações que os bancos precisam fazer todos os dias para zerar suas posições financeiras. A média ponderada dos juros pagos por esses depósitos que os bancos fazem constitui a taxa Selic over.

Você sabia? A taxa Selic over é sempre um pouquinho menor que a taxa Selic meta.

Taxa Selic e CDI

Quem tem aplicações de renda fixa provavelmente já ouviu falar do CDI, o Certificado de Depósito Interbancário. Ele é um indicador que anda junto com a Selic, mas há uma diferença.

No vídeo abaixo explicamos o que distingue as duas taxas:

Gostou do vídeo? Temos vários outros para você aprender sobre investimentos! Conheça o canal da Vérios no YouTube.

Taxa Selic e os investimentos

Como vimos, a taxa Selic serve como parâmetro para que os juros dos bancos e outras instituições financeiras sejam calculados.

Quando o governo diminui a Selic, as taxas cobradas pelos bancos nos empréstimos e as taxas pagas como remuneração dos investimentos também diminuem.

Exemplos de investimentos com rendimento diretamente atrelado à Selic:

Tesouro Selic

Esse tipo de título público oferecido pelo Tesouro Direto é considerado o investimento mais seguro da economia brasileira. O rendimento é atrelado à Selic.

Poupança

Talvez você não saiba, mas o quanto a sua caderneta de poupança vai render também depende da taxa básica de juros da economia.

Existem duas possibilidades:

  • Quando a Selic é maior que 8,50% ao ano, a poupança tem rendimento de 0,50% ao mês + TR (taxa referencial)
  • Quando a Selic é menor ou igual a 8,5% ao ano, a poupança rende o equivalente a 70% da taxa Selic vigente no período

CDB, LCI e LCA

Os títulos privados do tipo CDB, LCI e LCA são emitidos por bancos e sua rentabilidade é geralmente atrelada ao CDI (que, por sua vez, anda junto com a Selic).

A Selic como instrumento de política monetária

Por que a Selic sobe e desce? Quais critérios o Copom usa para determinar qual é a meta da Selic?

Se a intenção do governo é movimentar a economia e incentivar o consumo, ele reduz o valor da taxa Selic. Por outro lado, se a inflação aumenta e começa a incomodar, o governo faz com que a meta da Selic diminua, para que a economia esfrie e cesse o aumento dos preços.

A taxa de desemprego do país também é impactada pela Selic, você consegue imaginar o porquê?

Quando a taxa Selic aumenta e freia o consumo, as empresas vendem menos. Com isso, acabam demitindo funcionários para compensar a queda nas vendas. Da mesma forma, com a Selic mais baixa e o consumo crescendo, em tese as empresas acabam contratando mais funcionários para dar conta da demanda.

Brasil: uma das taxas de juros mais altas do mundo

Sim, o Brasil tem uma das mais altas taxas de juros de todo o mundo.

Em 2018, o Brasil conseguiu sua melhor posição histórica no ranking de juros reais, ou seja, juros descontados da inflação: 2,89% ao ano.

Ainda assim, nosso país está no topo do ranking. Apenas quatro países têm juros maiores que o Brasil: Argentina, Turquia, Rússia e México.

A taxa de juros real é calculada com o desconto da inflação no período.

Nessa conta, a Venezuela, que tem uma taxa mais de três vezes mais alta que o Brasil (21,78% ao ano), é a último colocada no ranking dos juros reais, já que sua inflação é exorbitante.

Leia também: Rentabilidade real: quanto seu dinheiro está realmente rendendo?

3 de julho de 2018
Ultima atualização: 10 de maio de 2019